Palavra do presidente

Muitos trabalhadores não sabem exatamente para que serve o sindicato. Alguns acreditam que o objetivo da entidade é somente disponibilizar convênios, fazer negociações de reajustes salariais e oferecer atendimento jurídico. 
O sindicato tem essas obrigações, mas além de tudo isso tem uma função social muito importante - que é lutar para resguardar direitos e transformar a vida dos trabalhadores e da sociedade.
O sindicato surgiu em momentos difíceis e de enfrentamento de trabalhadores contra a opressão dos patrões. Momentos semelhantes ao que estamos vivendo.
Nos últimos dias temos presenciado inúmeros ataques aos direitos dos trabalhadores e muitos outros virão pela frente como: as reformas previdenciária, trabalhista e também a aprovação de projetos de leis como a PEC 241 (Projeto de Lei Complementar) que trata sobre o teto de gastos dos estados e municípios e prevê o congelamento de gastos pelos próximos 20 anos. 
São tantas mudanças que ficamos perdidos em meio às informações. O momento é adverso, nada favorável ao mundo do trabalho. Alguns especialistas defendem que está havendo um desmonte do Estado, ou seja, o governo está fazendo de tudo para reduzir o poder e a participação do Estado na vida do cidadão. 
Sabemos que num país de maioria pobre, como é o caso do Brasil, isso não pode ocorrer. Não podemos nos dar ao luxo de diminuir  essa  participação pois precisamos que o Estado nos ofereça saúde, educação, e segurança pública de qualidade.
Também não podemos aceitar que mexam nas leis que protegem o trabalhador, como a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) ou nas que regulam a existência dos sindicatos.
Diariamente estamos participando de debates, manifestações, protestos e outros tipos de enfrentamentos para defender os direitos dos trabalhadores e consequentemente da sociedade.
Mas não podemos fazer tudo sozinhos. Nós, dirigentes sindicais precisamos do apoio e da conscientização da categoria – afinal sindicato é a união de todos os trabalhadores.
Por isso, neste momento pedimos aos trabalhadores que fiquem atentos, que se informem e prestem atenção a todas as mudanças propostas pelo governo.
Sabemos que ouvir noticiário político e econômico não é muito agradável, mas é de fundamental importância porque somente assim adquirimos consciência do que está ocorrendo no nosso país.
Se estivermos bem informados será mais difícil ser enganados pelo governo e se for preciso poderemos nos unir a tantos outros trabalhadores e juntos reivindicar nossos direitos.
Este é o momento de dar adeus a apatia e de conhecer a força do sindicato que representa esta categoria. Somente assim iremos preservar as conquistas de mais de 50 anos de luta. Como já dissemos, sozinhos não podemos chegar muito longe, mas juntos somos fortes!